Gentileza e cidadania nos ônibus

Existe um velho ditado que diz que gentileza gera gentileza e ele se aplica muito bem a vários momentos em nosso dia-a-dia. Uma atitude simples e feita de boa vontade faz bem não só para os outros, mas para quem pratica. Um pequeno exemplo disso, mas que faz a diferença, é ceder o lugar no assento para pessoas com mobilidade reduzida dentro dos ônibus.

Em nossos ônibus, os assentos próximos a porta dianteira dos veículos são demarcados com uma faixa amarela, que identifica os assentos preferenciais. Além disso, também há avisos fixados nas janelas informando sobre a quem esses bancos são destinados.

Isso não quer dizer que os demais passageiros não possam utilizar os assentos preferencias. Na ausência de pessoas idosas, gestantes, lactantes, pessoas com deficiência e pessoas acompanhadas por crianças de colo, o uso é livre. Só contamos com a colaboração dos passageiros para que cedam o lugar no assento na presença de pessoas com mobilidade reduzida.

Mais do que um ato de gentileza, ceder o assento preferencial para pessoas nas condições acima mencionadas é um exercício de cidadania, uma vez que a destinação de assentos preferenciais é um direito assegurado por lei. Por isso contamos com a ajuda de todos.
Gentileza em primeiro lugar. Na Transa Transporte pensamos assim.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.