Homem usando o celular enquanto dirige.

Celular e direção: um caminho perigoso

Os smartphones deixaram de ser apenas equipamentos de comunicação. Hoje, esses dispositivos viram verdadeiras centrais multimídia. É possível fazer tantas tarefas diferentes, desde as mais básicas de entretenimento até algumas mais avançadas no âmbito profissional. Com tanta comodidade e conectividade, virou um hábito checar o celular a cada notificação recebida. Se por si só essa mania já pode desencadear situações extremas como dependência da tecnologia, imagina só o perigo de se utilizar os aparelhos enquanto dirige?

Não é nenhuma novidade que falar ao telefone enquanto dirige é uma infração prevista pelo Código de Trânsito Brasileiro desde 1997. Quem for flagrado por um agente de trânsito falando ao telefone poderá perder 4 pontos na carteira ou ter que pagar uma multa de R$ 130,16. Já para quem estiver portando o aparelho enfrentará uma punição ainda mais severa. A falta é considerada gravíssima e o motorista pode ser multado em R$ 293,47 e perder 7 pontos na carteira de habilitação.

Apesar da legislação contrária e das punições, esse péssimo hábito está longe de ser eliminado. Em 2016, só no estado de São Paulo, foram aplicadas 101.388 multas aos motoristas que utilizavam o celular em perímetro urbano.

Por que existe a proibição do uso do celular no trânsito?

Dirigir é uma tarefa que exige total atenção do condutor e nesta situação, utilizar o telefone se configura como uma distração. Para se ter uma ideia dos perigos de se combinar o celular e direção, o National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), Departamento de Trânsito Americano, fez um levantamento e estimou que o uso do celular ao volante aumenta em até 400% o risco de acidente. Esse número pode ser maior se o motorista estiver sob efeito de álcool.

Homem dirigindo com celular na mão

Estudo americano aponta que o uso do celular ao volante aumenta em até 400% o risco de acidente.

Um outro estudo interessante sobre o tema foi feito pelo Instituto de Tecnologia dos Transportes da Universidade de Virginia. A pesquisa feita sobre o comportamento dos motoristas americanos descobriu que os condutores gastam em média 23 segundos olhando a tela do celular. O resultado pode parecer pequeno, mas se você analisar que em menos de 23 segundos um imprevisto pode acontecer, a situação muda de figura.

Reflexos

Por falar nisso, quanto tempo seria necessário para que um motorista tome alguma atitude em caso de um imprevisto no trânsito?  A Faculdade de Engenharia Industrial (FEI) de São Paulo, trouxe uma resposta para este questionamento. De acordo com a pesquisa da instituição, são gastos 4,5 segundos para que um motorista pegue o celular e verifique quem está ligando para o seu aparelho. Caso o distraído condutor precise frear para evitar um acidente, ele levará cerca de 2,5 segundos para reagir – caso o veículo esteja a 100 quilômetros por hora. Nesta situação, o tempo seria distribuído da seguinte forma: são 1,5 segundos para perceber o perigo e 1 segundo para que o motorista comece a agir.  Tempo apertado, não é?

Diante dessas informações, esperamos que você, caro leitor, reflita bastante sobre seu comportamento no trânsito. Celular e direção não combinam. Pense nisso e evite que um acidente ponha em risco não só a sua vida como a de outras pessoas inocentes.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.